sexta-feira, julho 14, 2006

Tanto Calor!!

Hoje, eram 7h da manhã e lá andava eu ,mais fresca que nunca,a passear com a Inês e com o Pitágoras (o cão dos meus pais). Fomos até ao jardim, comprámos pão fresquinho e o jornal.
Para quem me conhece sabe que estas coisas não acontecem com facilidade. Eu sou daquelas que à noite arranja sempre mais alguma coisa para fazer, deito-me super tarde e de manhã para sair da cama é de fugir. Ando sempre atrasada e a correr. Tenho a sorte de entrar mais tarde que a maioria das pessoas.
Passo a explicar, sim, porque este acontecimento merece uma explicação. ;)
Com o carro na revisão e o marido no turno da noite achei uma estupidez pedir o carro ao meu pai para ir para casa e voltar na manhã seguinte, principalmente porque a nível de transportes a casa dos meus pais é super acessível. Ficámos lá a dormir para não ter de me levantar mais cedo (pensei eu), pois teria de ir de transportes para o Porto.
Os meus pais têm o nosso antigo quarto montado. Agora é o quarto das netas. Héé Héé
Com tudo aberto e a ventoinha ligada, o calor sufocava. Acordámos as duas por volta das 5h da manhã a olhar uma para a outra. Foi bom, muito bom. Depois do habitual vira e revira e já com os cabelos colados à testa levantámo-nos. Tomámos uma banhoca deliciosa e super refrescante. Dei-lhe a papa na sala a ver os desenhos na tv.
Por isso às 7h andávamos a passear todas contentes, numa calma que já não me lembrava de sentir.
Já estava muito calor mas a paz de andar por ali àquela hora, sem se ver quase ninguém, foi muito relaxante.
A Inês insistiu em levar a trela. Foi bem engraçado ela a querer mandar no cão. ;)
Já em casa tomei o pequeno almoço e dei uma vista de olhos ao jornal. A Inês começou a ficar ensonada. Desliguei a tv, tirei a roupa (a minha e a dela) que já não se aguentava com o calor outra vez e ainda me deitei um pouco para ver se ela adormecia antes de eu sair. Passei pelas brasas e ela adormeceu.
Às 9h20 já estava no Porto a ver montras. Pelo caminho, não resisti a um sumo de laranja natural com gelo para abafar a sede.
Acordei cedo, andei a pé e adorei. UAU!!!!
Vantagens da casa dos meus pais: está tudo à mão. Dá para ir a pé ou de transportes para todo o lado e eles estão mesmo ali. Tudo me é familiar.
Vantagens da minha casa: é muito mais fresca (e no inverno é quente :), mas acima de tudo é a minha casa. Apesar de ter vivido quase toda a vida na casa dos meus pais, agora tudo mudou e senti falta do meu espaço e do maridão ao lado.
PS - Nunca tinha pensado nisto mas estranhei a banheira, que é muito mais pequena e eu nunca me tinha apercebido. Héé Héé
Desculpem lá este post cheio de conversa da treta mas que me soube muito bem escrever. ;)

5 comentários:

Ana disse...

e claro que sabe bem!!!
tb precisava d efazer mais vese isso!
quando acordo agora está sempre um calor de morrer!
nem dá vontade para sair!

beijocas!

ana e susaninha

ps- já pensaste na hipotese de mudares para gaia city???!!!

Mamuska disse...

Sabes à muito tempo que não madrugo assim e sabe tão bem respirar o ar da manhã :)
Beijossss

Fitinha Azul disse...

e que bem que me soube lê-lo! De vez enquando também gosto de madrugar e andar na cidade vazia...

Clara Sonhadora disse...

Depois de ter casado, a casa dos meus pais foi tão remodelada que se não fosse o facto de eles lá viverem, não me identificava em nada, por lá.

Mas as memórias ainda estão bem acesas :)

Bjos

Ariadna & Ricardo disse...

Gostei de ler!
Deve ter sabido mesmo bem :D
E não há nada como a nossa casinha!
Bjs