quinta-feira, dezembro 01, 2005

A pequenota está melhor, quer dizer, está melhor mas ainda não está bem. O nariz não dá descanso. Escorre sem parar. Vou começar a fazer vapores para ver se consigo que deite tudo cá para fora de uma vez. Com tudo isto, tem acordado sempre a meio da noite e acaba inevitavelmente a dormir na nossa cama. Espero que não se habitue.
Ontem recebeu o primeiro presente para colocar na árvore. Foi a tia Lurdes que deu. Eu já espreitei para ver o que era mas não lhe contei nada. JURO!!!! ;) Héé Héé
Sou pior que os miúdos.
Neste feriado,o ano passado, a menina Inês resolveu tirar um dia para a preguiça e quase matou a mãe e o pai de preocupação. Estava com 35 semanas e cheguei à hora de almoço sem a sentir mexer uma única vez. Passaram mais duas horas e nada. Liguei para o meu médico que me aconselhou a ir ao hospital. Para dizer a verdade estava à espera que ele me acalmasse mas acabei por perceber a sua preocupação. Voei para a maternidade com o coração aos pulos. Ligaram-me ao CTG durante quase duas horas. O coração batia muito pausadamente. A enfermeira disse que a bébé estava a dormir. Fiquei mais descansada mas o certo é que continuava sem a sentir.
Quando saí, liguei de novo para o meu médico que me disse que até à hora de jantar eu tinha de a sentir, caso contrário voltava à maternidade.
8 horas da noite e nada. Lá vou eu outra vez para as cintas. Apanhei a mesma médica que me disse que os batimentos continuavam pausados mas que achava que nada de mal se estava a passar, em todo o caso como estava a perceber o meu nervosismo achava melhor melhor eu passar lá a noite.
Quando ela disse aquilo stressei completamente. Se estava tudo bem para quê internar? Pode acontecer alguma coisa durante a noite e aqui está mais segura.
Agora eu acho que tive uma atitude muito mimada mas confesso que naquele momento fazia um esforço enorme para não chorar de nervos. Nem roupa tinha. Eu e o Duda vestimos uma bata e lá fui eu para a sala da dilatação (isso percebi mais tarde). Ele veio ter comigo passado um bocado. Quando foi embora eu só queria fugir dali.
Sabem o que aconteceu a seguir?????
A minha filha esteve toda a noite que parecia um cavalo. Tum tum tum tum. Uma barulheira que só visto. A minha barriga andava "de um lado para o outro". Os batimentos passaram para os cento e cinquenta e tal por minuto e assim ficaram toda a noite. A enfermeira teve de baixar o som da máquina. Eu já nem sabia se havia de chorar ou de rir.
Durante a noite deu-me vontade de fazer xixi. Chamei a enfermeira: Olhe desculpe, pode-me retirar as cintas um pouquinho para ir ao WC? Não pode sair da cama, e lá vem ela com aquela coisa fantástica de metal. Eu olhei para aquilo, aquilo olhou para mim e a vontade desapareceu como que por magia.
Já quase de manhã estava uma senhora ao meu lado cheia de dores (tinhamos uma cortina a dividir o espaço) e o marido dela decidiu vir meter conversa comigo sobre o tempo. Ela arfava que só visto e eu muito descansada. Até me senti mal por não sentir dor nenhuma. Quando ele voltou ela deu-lhe um berro que ele até andou de lado. Nunca mais o vi. Hii Hii
De manhã vem uma enfermeira meia abrutalhada, olha para os meus gráficos e pergunta-me de quantas semanas estou. 35. E está aqui a fazer o quê? A ocupar cama? E lá tive eu de explicar tudo outra vez.
Depois de devidamente "tocada" fui transferida para a sala de internamento para ter alta.
Quando digo transferida quero dizer que fui sozinha e pelo meu pé nesta figura: de botas porque não tinha chinelos, de bata justa para a barriga enorme que já tinha, comprimento pelos joelhos e aberta atrás a verem-se as costas e as cuecas.
E lá fiquei eu meia perdida no meio dos corredores sem saber muito bem para onde ir. Aquilo já me parecia um filme. De repente alguém me viu naquela figura e meia desorientada. Ufa??? Deu-me uma toalha e disse-me onde era o WC para tomar banho. Tomar banho e vestir o quê??? Eu só pedia a minha roupa mas ninguém ligava ao assunto. Acabei num quarto enorme completamente sozinha. Fiquei lá tanto tempo que achei que se tinham esquecido da minha existência, até que lá apareceu a médica para me dar alta e rir-se um bocadinho da falta de motivos para o internamento. No final tive direito ao almoço. Vá lá...
Já acabei, fiquem descansadas. É pá que isto ficou mesmo comprido... :)

9 comentários:

Filipa disse...

Que filme...
Realmente não havia necessidade, mas isso foi mais seguro!!!

mãe gabi disse...

lembramos sempre todos os momentos da garvidez eu tb sou assim ...mais vale prevenir ne? beijos
gabi e gonçalo

AnaBond disse...

ah, em relação ao dormir, deixa lá que eles habituam-se sempre.

já vi que és mesmo pior que os putos, eheheheheh

sobre o resto... realmente mais vale ficarmos descansadas do que o resto do tempo ansiosas, não é?

Carla Yu disse...

Ehehe este feriado vai ficar-te bem na memória!!

Beijocas

Mamuska disse...

Realmente é um feriado que nunca mais vais esquecer, mas acho que fizeste bem, porque mais vale prevenir do que remediar :)
Beijinhosss

Ana Santos disse...

Puxa que aventura passaste nessa noite!
Beijinhos,
Ana e tesourinho + anjinho

Susana disse...

olha o pediatra disse-me para dar á Maria rynomer em spray porque vai ´mais atrás do nariz e evita que se criem infecções.
tenho dado á Maria e está a dar resultado.

Alves ao quadrado disse...

A minha mana no seu melhor!!! lol

Alves ao quadrado disse...

Muitos parabens pelos teus onze mezinhos! Um beijo do tamanho do mundo da titi que te adora muito!

N.B. Vê se dizes à tua mãe que o teu blog não está a contar mt bem a tua idade...ou será que ela já está a achar q estás a crescer mt depressa?? ;))