sábado, janeiro 14, 2006

Quando lutámos muito por algo que teima em não acontecer ficámos muito mais sensíveis a tudo o que se passa à nossa volta. E esta história fez-me recuar e lembrar a altura em que um mês após o meu aborto uma amiga próxima me disse algo que me magoou muito, minimizou a minha tristeza e o meu vazio. Na altura aquilo atingiu-me de uma maneira que nem forças tive para responder.
Já há muito que perdoei, aliás, ela nem nunca soube o que senti. Consegui ultrapassar exactamente porque percebi que o momento dela entender o que eu sentia ainda não tinha chegado.
Sentir contrações, sentir a bolsa de água a romper, sentir aquele liquido quente, ouvir dizer que está a sair e ver no ecrã uma eco escura e sem vida. Tal como as lembranças boas nos ficam na memória também a más aqui permanecem e ainda hoje me vêm as lágrimas aos olhos quando penso em tudo isso. No entanto tenho uma certeza, não trocava aquelas semanas de felicidade por nada. Aquele bébé existiu e foi nosso.
Temos coisas na vida a que só damos valor quando as sentimos na pele. É mesmo assim.
Por isso, minha querida Sónia, continua assim optimista porque no final tudo vai valer a pena. :)

4 comentários:

Sonia disse...

:)))))
Oh minha querida, *beijinhos*, muito, muito obrigado.
Ando numa fase mto positiva, não tão preocupada em saber se é este ou o próximo mês.
Para mim é mais importante agora ser certinha todos os meses, do que estar a tentar á 10 meses sendo que 6 dos quais não existe ovulação.

Sei que vai ser este ano, sinto que está mais próximo todos os dias, e era isso que queria transmitir a quem está mais em baixo. Há sempre um tempo, uma esperança, para que esse momento mágico e único aconteça.

beijinho mto mto grande.

Mamuska disse...

Sem dúvida que estes momentos devem ficar sempre na memória, mas o que interessa é acreditar sempre que um dia se consegue atingir o objectivo e tu conseguiste, assim com a Sónia o vai conseguir!
Beijoss grandesss

margarida disse...

Até me arrepiei ao ler as tuas palavras. Também eu já tive um aborto, de 7 semanas, mas ainda hoje não consigo evitar as lágrimas quando penso nisso. É mesmo assim algumas pessoas só dão valor quando passam pelas coisas. Mas são bocados da nossa vida que nos tornam mais fortes.
Bjinhos

Filipa disse...

Há pessoas que não sabem o bem que têm, talvez por ter sido relativamente fácil alcancá-lo...