quinta-feira, fevereiro 09, 2006

Obrigada pelos vossos comentários ao post anterior.
Quanto a ter num hospital publico se tivesse mesmo de ser seria, mas sinceramente se puder evitar evito. Já estive internada no Pedro Hispano quando foi do aborto e fui super bem tratada mas continuo a achar que é tudo uma questão de sorte na equipa que lá encontrarmos. Por exemplo, no parto da Inês eu estava com contracções mas sem dilatação absolutamente nenhuma, para além disso tinha o colo muito subido. Chegou uma altura em que o médico disse que era uma pena eu não fazer parto normal porque tinha uma boa anca para isso, mas que da forma que me encontrava, mesmo que induzisse o parto seria muito difícil conseguir. A cesariana foi, provavelmente, a opção mais cómoda, mas ali eu tinha a certeza que também estavam a pensar em mim e no meu bébé. Não sofremos, foi uma cirurgia cheia de bom humor (graças aos médicos que iam explicando tudo e brincando), cheia de emoção e com total acompanhamento do pai (isto já existe em quase todos os hospitais e ainda bem). Num hospital publico a cesariana é sempre a ultima opção depois de horas ou dias de sofrimento. Da forma que eu estava tenho a certeza que ia passar as passas do Algarve.
Existem experiências positivas e negativas, quer no publico, quer no privado, mas para mim foi desta forma que tudo correu super bem. Ela nasceu às 20h45 e no dia seguinte de manhã já estava a tomar duche. Fui acompanhada por uma enfermeira parteira espectacular desde as 37 semanas até ao final do 1º mês da Inês e tive sempre a certeza quem me ia acompanhar no parto. Claro que fui super bem tratada na Ordem, parecia um hotel, mas não é isso que me importa, é mesmo o parto em si.
Chamem-me medricas mas nestas coisas eu pretendo sofrer o minímo possível. Não sou nada dada a sacrifícios. Aquela ideia de um parto 100% natural, sem médicos, a mim passa-me completamente ao lado. Admiro muito quem pensa assim, mas eu não consigo.
Por isso o seguro é tão importante. Só assim me vai ser possível ser acompanhada pela mesma equipa no próximo filhote que por aqui aparecer :)

11 comentários:

mãe gabi disse...

eu compreendo!e eu aqui no algarve passei as passas do algarve!so dao epidural com cunhas..ridiculo nao? mas ja passou e ja esqueci e pronta para outra!beijos

Filipa disse...

De facto, as cesarianas com epidural, onde as mamãs estão atentas, acordadas e bem dispostas, são raras nos hospitais publicos.
Mas afinal a Inês nasceu onde, no particular?

Céu Estrelado disse...

Eu tive as minhas meninas de cesariana. A 1ª sentou-se no final da gravidez e teve que ser cesariana, fui para um particular, tive de pagar 800 contos na altura, foi muito dificil para nós essa fase em termos monetários, mas não me arrependo nada! A 2ª, uma vez que já tinha feito uma cesariana da 1ª, o médico disse que não arriscava e que teria de ser novamente cesariana (uma vez cesariana, para sempre cesariana - pq o utero cortado perde elasticidade e não se arrisca). Tudo marcado no mesmo sitio mais caro ainda (3 anos e meio depois), e fui outra vez muito bem atendida, como da 1ª vez. As diferenças para um hospital publico são muitas, e realmente se tudo correu bem o tempo todo, pq arriscar no dia H?
Voltaria a fazer tudo igual!
Beijinhos Querida! :)

Sandra disse...

Aqui é no público, no primeiro deram-me epidural (2 doses) mas não fez efeito e a segunda ficou com a cabeça entalada depois de me passarem dores, contracções e tudo. Foi horrivel e o segundo perigoso e sofri muito mais por isso acho que fazes bem. Para quê sofrer tanto? Os meus 2 partos acabei por ter lá os médicos mas foi tudo 100% natural (principalmente nas dores!)
Bjs

Anónimo disse...

Pois eu concordo a 100% contigo...e podendo optar eu também vou pela Ordem.

Claro que a estrelinha da sorte tem de estar connosco, mas num hospital ou temos muita sorte ou algum conhecimento.

Numa das alturas mais importantes da nossa vida e às vezes por causa da equipa fica tudo estragado.

Eu tive os meus filhos de cesariana (não fiz dilatação e no 2ª parto até foi cesariana com ventosa, foi com epidural e um tratamento impecável. E ter ao lado o meu obstreta era muito importante.

Consulta também o seguro da Advance Care (Allianz) acho uma boa escolha também.

Catarina

Alice disse...

Olá,
foi bom ler as vossas experiências.
Quero recordar o parto como um momento bom. Claro que bem sei que existem meninas que têm filhotes e ficam como se nada fosse, como a Dora que no final nem pontos teve e disse que se sentia como se tivesse feito uma aula de ginástica mais puxada. Héé Héé
Amiga sortuda. ;)

Filipa,
a Inês nasceu na Ordem do Terço aqui no Porto. 5 estrelas. Muito bom.

Catarina,
Obrigada pela dica da Advance care. Nem me tinha lembrado desse. Vou analisar tb as condições.
Quero ver se decido durante a próxima semana.
Beijinhos.

Clara Sonhadora disse...

Nessa dos seguros estou completamente fora. Não tenho nem pretendo vir a ter pois felizmente estamos muito bem servidos no público e privado que usamos e, contas feitas, não compensa.

Eu tb não sou mt apreciadora da dor, apesar de ainda não ter passado por elas, mas claro que admiro quem assim pensa.

Beijocas

AnaBond disse...

linda, estou longe de ti, e não tenho nenhum desses seguros, por isso não te posso dar essa opinião.

posso apenas dizer-te que tive o meu filhote no público, de cesariana, sem dores nem stresses. ele estava sentado e não pensaram sequer em tentar o parto normal.

e desculpa discordar de uma menina (céu estrelado), mas se fizeste uma cesariana não tem de ser forçosamente uma segunda cesariana... isso é o que os privados nos querem fazer acreditar. se a coisa for bem monitorizada, pode ser um parto normal. há um ou outro pormenor que a maioria dos médicos não quer sequer pensar...

mas claro, se preferes cesariana, um privado é o melhor... no público não há opção de escolha. é o que eles querem e mais nada.

beijo

Ana Ribeiro disse...

Olá amiga

Tenho de discordar ctg...eu podia ter tido a Margarida num hospital particular e não quis. Como sabes, ela nasceu de cesariana e o médico assim que viu o que se passava, nem pôs a hipótese de um parto normal. Para mim não tem a ver se o Hospital é público ou privado, mas sim com as equipas que apanhamos. Há mtos hospitais particulares que péssimos médicos...por isso é uma questão de sorte...Da próxima vez e, embora beneficie de um seguro q me permite ir para o privado irei, e principio novamente para o mesmo hospital.

Bjocas

Ana & Margarida

Maguy disse...

Olá!!!
Eu gostei do acompanhamento que tive no hospital público. Não etsou nada arrependida de não ter optado pelo privado.

Um beijinho grande
Maguy+Gu

Costinhas disse...

Acho que deves escolher o melhor para ti e para os teus!

Espero que consigas optar pelo seguro certo e que num próximo parto tenhas o mesmo acompanhamento.

Um beijinho!