segunda-feira, junho 16, 2008

Decisão tomada!!!

A decisão está tomada e sinto-me muito mais leve. Aqui vai o que aconteceu:
Recebi uma chamada do meu médico a dizer que o meu rastreio tinha dado positivo: 1 para 175 para sindrome de Down. Fiquei sem chão. Em Portugal os valores de risco são de 1 para 400 mas no Reino Unido, por ex, são de 1 para 150 e neste caso esta questão nem era colocada.
Disse-me que os valores eram mt baixos mas que existia o risco e teria de ponderar fazer a amniocentese. Tenho um caso próximo em que este exame resultou num aborto de uma menina saudável por perda de liquido amniotico. Sei que os riscos são minímos (cerca de 1%) mas existem. Para além disso o que me assusta ainda mais é que em caso positivo não sei se teria coragem de abortar e se assim for para quê correr riscos? Se decidisse fazer, na altura do resultado já estaria com mais de 20 semanas. Na eco T. Nucal está tudo bem e não acusou nada. Ficámos como uns tolinhos no meio da ponte.
Decidi falar com calma com o meu médico. Ele chegou-me a dizer que por vezes estes rastreios em vez de nos ajudarem só complicam, como no meu caso em que os valores de risco são minimos, mas existem.
Pedi-lhe mesmo para ele, (sem lhe estar a incutir qualquer tipo de responsabilidade perante o que acontecer), me desse a sua opinião pessoal, tipo, se fosse com ele o que faria.
Baseando-se na sua experiência profissional, ele foi honesto comigo. Foi mais ou menos isto: equlibrando toda a informação que temos numa balança, vemos o que pesa mais. Por um lado ainda tens 34 anos (não é considerada ainda idade de risco), tens uma eco T. Nucal perfeitamente normal e tens um resultado do rastreio bioquimico que embora apresente valores considerados de risco são minimos. Por outro tens a possibilidade de fazeres uma amniocentese em que o risco de aborto (na sua opinião e experiência) é de 3 a 5%.
De um lado tenho um risco de 1 para 170 (rastreio) e do outro 1 para 100 (amniocentese).Se fosse ele provavelmente não faria a amniocentese. O unico caso que teve em que deu positivo tratava-se de uma senhora com 37 anos em que a eco tb deu normal mas o rastreio apresentou valores de 1/10 e aí sim estamos a falar de valores de risco mt altos e realmente a amniocentese acusou positivo para T21.
Acho que no fundo tinha a minha decisão tomada desde o inicio mas não estava segura. O maridão não está tão seguro como eu mas conforme o tempo passou e me fui informando de tudo percebi que nunca seria capaz de fazer o aborto e como tal não se justificava fazer a amniocentese.
Entretanto as coisas alteraram-se um pouco pois fui a uma consulta e estavamos a falar com o meu médico qd ele dá conta que no resultado do rastreio não aparece a referência da medida da nuca. Percebi que ele não deu logo conta pq era uma informação de que ele já tinha conhecimento mas não tinha reparado que não se encontrava mencionado no resultado do teste. Fiquei de ligar de tarde a saber se aquele valor tinha sido calculado ou se simplesmente estava oculto no exame. Qd liguei disseram-me que não tinham essa informação e que, sendo assim, o valor do rastreio era francamente negativo.
Ora bolas... claro que fico mais descansada com a decisão que tomámos mas até que ponto se pode confiar nestas coisas? Até que ponto num simples telefonema entre médicos se dão conta que afinal o que era já não é?? Neste caso é a nosso favor mas poderia ser ao contrário. Como é que o laboratório pode apresentar este resultado sem ter em conta que falta a cópia do exame da ecografia T. Nucal? Eu entreguei mas se por qualquer motivo não estava lá não deveriam ligar-me a mim ou ao meu médico a dar conta que faltava um documento essencial para a conclusão do relatório?
Sinto-me mais descansada porque, independentemente deste episódio, a nossa decisão estava tomada mas se assim não fosse acho que não ficava mais descansada pois fica sempre uma desconfiança relativamente à forma como tudo aconteceu.
Agora resta-nos assumir a nossa decisão e sermos capazes de nos mantermos relaxados e optimistas o resto da gravidez pois continuo a sentir que o meu bébé está bem. Tenho plena consciência do risco, mesmo que minímo, que continua a existir, mas esta foi uma decisão totalmente consciente para o bem e para o mal.
Já agora e só por curiosidade: ainda não há certezas mas parece que é outra menina :))

6 comentários:

silviabar disse...

Parabéns pela vossa coragem!
Não imagino o que faria, mas admiro a coragem de quem vai em frente e enfrenta uma gravidez cheia de receios, de ses, de incertezas.

Lamentável é a forma de trabalhar desse laboratório que parece que se esqueçe que estão em jogo vidas.

Amiga, desejo-vos toda a felicidade do mundo e que essa criança nasca com muita saúde para vos encher de alegrias.

Beijocas grandes

Sílvia

1gota disse...

Um grande dilema sem dúvida...
Eu também faria a tua opção.

É realmente de lamentar a falta de profissionalismo com o qual nos vamos deparando. Como é que saí um resultado sem ter a certeza. Como dizes e bem, no teu caso foi "a teu favor", mas não é de todo desculpável nem comprrensível.

Um resto de boa gravidez!

Beijinho grande.
:*

A mamã disse...

BOM ALICE EU NEM SABIA AINDA DA TUA GRAVIDEZ
PARABÉNSSSSSSSSSSSS
PARABÉNS ... E gora há que relaxar
tenho uma amiga com um caso similar mas ela dez a amniocentese deu tudo OK
Mil bjinhos
paula

inesn disse...

eu apresentaria queixa...

um abraço forte!!

Costinhas disse...

Pois, é por causa desses "enganos" e consequentes sustos que o meu médico só faz o rastreio bioquímico no caso de valores de T. Nuca alterados.

Não imagino o sufoco que passaram.

Beijinhos

Mamuska disse...

Minha querida fico feliz por saber que estás mais calma e que está tudo a correr bem! Tinha mandado um email para a netcabo mas pelos vistos não recebeste!
Beijos grandess